PicMonkey Collage

Sim meu caros, eu estou vivo. Depois de me mudar pra Curitiba, tudo tem sido bem corrido. É difícil conseguir conciliar tudo e de sobra ter tempo pra escrever aqui. Sou uma pessoa que gosta muito de qualidade, prezo por isso. Então, como eu não tinha tempo de produzir, acabava deixando vocês desatualizados.

Confesso, quando ainda estava em Santa Catarina, naquela loucura de mudança e no meio de pilhas e pilhas de caixas, tudo estava bem. Eu estava animado e feliz por estar dando mais um passo para novas descobertas na minha vida. Como sempre digo: não interessa se de é cidade, estado ou até país, todo lugar que pisamos, iremos descobrir coisas incríveis, e outras nem tanto.

No último dia, eu realmente acordei feliz. Se bem que nem dormi direito. Estava ansioso. Era perto do meio dia e a empresa de mudanças entrava no apartamento para colocar tudo dentro de um caminhão rumo á um destino incerto. Parece que história de anos atrás se repetia, mas agora de uma forma totalmente diferente. Não teve sofrimento e, sim a certeza que estava dando um passo certo.

Quando a última caixa foi colocada dentro do caminhão e a última vistoria no apartamento foi feita, meu coração apertou. Talvez quem me acompanha por aqui, pensa que eu sou uma pessoa totalmente segura de si. Não é bem assim. Quando estávamos entrando no carro, minha ficha realmente caiu.

O que eu tinha pra fazer por lá, foi feito. No outro dia eu acordaria em um estado diferente com a missão de fazer a vida se reestruturar novamente.

Não foi fácil, no começo parece mil maravilhas, mas quando eu estava devidamente pronto pra começar minha rotina aqui, o medo bateu.

Estava em um lugar totalmente novo e não conhecia absolutamente nada. Parecia que tinham me jogado no meio de uma floresta sem nenhuma forma de me localizar. Me desesperei. Quis vir embora e largar os projetos que já tinha começado aqui.  Mesmo quando temos um sonho e vontade de fazer tudo aquilo que planejamos  acontecer, sair da zona de conforto ainda não é algo fácil.

Cada dia que passa eu venho adquirindo novos conhecimentos. Estamos sempre em constante aprendizado. E algo que eu aprendi durante toda essa trajetória louca que chamamos de vida é que mesmo que o medo esteja presente em nossos planos, não devemos deixa-lo impedir de ir atrás dos nossos objetivos.

E como diz um sábio: E se der medo, vai com medo mesmo!

cuide-da-sua-bussola-interna
Parei pra pensar em quanta coisa bacana aconteceu na minha vida em tão pouco tempo. Conheci novas pessoas, novas cidades e até estou me mudando para um lugar no qual sempre quis morar. Realizei e continuo realizando muitos sonhos.  Parece que tudo mudou do dia pra noite, mas não foi isso que aconteceu. Eu apenas comecei a acreditar mais nos meus sonhos e objetivos. A partir do momento que comecei a usar meus sonhos da mesma forma que se utiliza uma bússola, tudo começou a ir pelo rumo certo.
Quando eu era bem pequeno, me recordo de assistir uma matéria sobre a cidade de Curitiba na televisão, enquanto esperava meu pai chegar do escritório para podermos almoçar juntos. Comentei com minha mãe que um dos meus sonhos era poder conhecer o Jardim Botânico e poder desbravar aquele lugar que tanto me encantava. Mesmo com pouca idade, ainda tenho exatamente a cena em minha cabeça.  Era próximo do meio dia, a reportagem era exibida naqueles jornais que normalmente começam próximo ao horário do almoço.
Hoje sinto como as palavras têm poder e nossos desejos se realizam no tempo certo. Não foi nada planejado, porém a primeira vez que pisei no Jardim Botânico era exatamente meio dia. Talvez seja coisa do destino, ou até uma coincidência. Entretanto, eu estava meio dia, no Jardim Botânico com meus pais. 
Todavia, você deve que ter em mente que alguns sonhos não vão se realizar da forma que idealiza. Muitas vezes você precisará abrir mão do carro do ano para pagar a mensalidade da sua faculdade de medicina. Terá que deixar de fazer a sua primeira viagem internacional porque o dólar, por conta da inflação, está nas alturas ou até mesmo de entrar na faculdade, pois não atingiu a nota de corte necessária.
E aí entra a parte que citei no início do texto: tudo tem seu tempo certo. Não podemos desistir de primeira. A gente quebra a cara uma, duas, três e, se duvidar até mais. Experiência própria. Se eu tivesse desistido dos meus sonhos na primeira vez que quebrei a cara, certamente eu não estaria aqui. E sabe porque eu não desisti? Porque sei que eu tenho um potencial incrível de poder fazer acontecer. Como todos que estão lendo esse texto. Eu não estou aqui simplesmente para escrever sobre determinado assunto. Estou aqui para fazer você que desistiu de algo que sempre quis, se levantar e mostrar para todos que duvidaram da sua capacidade que você é sim capaz e que suas mãos têm o poder de mudar o mundo. 
Se você me perguntar se sou uma pessoa realizada, posso lhe dizer com toda a certeza que sim. Pois mesmo com as dificuldades que tenho no meio dos meus trajetos, não deixo elas me fazerem desistir. Provavelmente chegará um dia que você não aguentará mais correr atrás e não obter um resultado e, é nesse momento que você deve juntar todas suas forças e mostrar para o cansaço que não vai desistir.
E quando se sentir perdido, lembre-se que sua bússola, por mais incrível que pareça, está dentro de você e também atende por outro nome: sonho.

ACREDITE,

CONFIE,

REALIZE.

NENHUM SONHO É

I M P O S S Í V E L

E aí, gostou deste texto? Então compartilha comigo o que você achou e me conta dos teus sonhos. Vou adorar conhece-los. E prometam uma coisa pra mim: mesmo que pareça difícil, não desistam. A bússola da vida está prestes a indicar seus caminhos. Basta você segurar firme e seguir os caminhos que ela aponta. 

Beijos,

Gabriel Morente.

couple-731890_960_720Espero que um dia você encontre a liberdade que tanto procura, que a sua vida seja plena e que nada te prenda. Nesse dia, quero que você perceba o quão insuportável são os seus dias sem mim, o quanto você queria me buscar no trabalho e me assistir tirar o jaleco e colocar uma blusa de moletom sua. Muito provavelmente, no dia em que tudo isso acontecer, eu não vou mais ler seu horóscopo diário enquanto penso em como marte em capricórnio pode influenciar em nosso relacionamento. Mas, mesmo assim, eu quero que você remoa todas as noites, dias, horas que tivemos juntos.

Quero que você converse mentalmente comigo e que, no fim do diálogo, acabe sozinho deitado no meio da sua cama de casal, afinal, espero que você tenha a decência de não envolver outra pessoa nessa bagunça toda. Quero que, com asas que você ganhou sendo livre, você voe até a minha casa e descubra que eu me mudei. E, então, pergunte-se por que eu não lhe contei.

Nesse dia, espero que você dirija só com a mão direita e fique com a esquerda no colo, para lembrar de quando andávamos de mãos dadas. E acelere. Acelere. Acelere. Acelere o suficiente para lembrar como eu sempre dizia que você dirigia bem. Pare na lavanderia para deixar suas camisas e perceba que nenhuma tem o meu perfume ou o meu batom. E aí se sinta livre para fazer o que quiser e escolha voltar para casa.

Espero que pegue um trânsito de horário de pico e que todas as rádios toquem as músicas que tocava para mim no violão. Nesse momento, olhe para o banco de trás e veja que o instrumento ainda está ali, jogado. Eu só quero que você seja livre.

Chegue em casa, sente-se para escrever um relatório do trabalho, escreva uma carta para mim e, depois, rabisque-a toda. Eu quero que você peça uma pizza e vá dormir.

Deite no travesseiro, sinta a sensação de liberdade que tanto procurou, respire fundo e sinta o barulho ecoar na sua casa vazia. E por fim, lembre-se de todas as vezes que disse que eu era uma camisa de força, amarrando seus braços para trás e, então, perceba que ao invés de livre, você é solitário. Espero que procure na internet o significado de “marte em capricórnio” sobre o qual eu tanto falava e não encontre nada.

Espero que nesta noite você durma. E, novamente no meio da cama, acorde sozinho. Não era só que você se sentia livre?

 

 man-937384_960_720

 Nesse primeiro post, decidi desabafar com vocês. Isso me fez uma tremenda falta, sabia? Mas, em tão pouco tempo, tanta coisa aconteceu que vocês nem imaginam. Poucas pessoas sabiam disso e eu estava bem receoso, não sabia se compartilhava ou não. Entretanto, escolhi compartilhar e tenho certeza que isso pode servir de motivação para algum de vocês, preparados?

Passei por alguns problemas durante o ano passado e isso fez com que eu chegasse a seguinte conclusão: eu precisava recomeçar.

2015 foi um ano de grandes choques na minha vida. Eu costumava fugir muito dos problemas, acabava guardando tudo pra mim e aquilo foi me corroendo de uma forma tão grande, que chegou a determinado momento que eu já não era mais a mesma pessoa. Eu estava me transformando em uma pessoa amarga, rancorosa e fria, o que nunca fez parte da minha personalidade.

Não importa o que eu fizesse, já não me contentava mais. Sempre gostei de sentar no sofá na sala da minha casa e passar horas escrevendo posts para vocês, sair com meus amigos para falar bobagens ou, até mesmo, sair com minha família em um sábado a tarde como sempre fazíamos. Todavia, nos últimos tempos, nada mais tinha graça.

Não queria mais sair de casa, e a tristeza tomava conta do meu coração. Joguei todos os meus projetos, que não eram poucos, pro alto. Eu literalmente havia chego ao fundo do poço.

Comecei a desabafar muito com o Thiago, ele é uma grande inspiração para mim, tanto na vida pessoal, quanto na profissional. Ele me chama de repetitivo, de dramático, mas ele sabe o bem que me faz. Em agosto fui a um evento com ele, e quando ele me abraçou, mal sabia que eu havia chorado a noite inteira por simplesmente não estar correspondendo as expetativas que ele impunha a mim. Ele me motivava tanto e eu não conseguia compensar. Isso me matava a cada dia. Ele sempre acreditou em mim e no meu potencial, e isso me fazia sentir um pouco mais tranquilo. Sabia que ele não me abandonaria em um momento tão difícil quanto o que eu estava passando. Mesmo muitas vezes ele dizendo que certas coisas eram frescura. E eram mesmo, rs. Mas quando estamos no fundo do poço, qualquer coisa pequena se torna uma avalanche.

E foi quando eu decidi conversar com minha família, eu não estava aguentando mais. Eu chorava todos os dias, me trancava no quarto só para não precisar ter contato com ninguém. Eu me sentia sozinho, mesmo tendo a companhia da minha família e dos meus amigos. Pessoas que sempre quiseram meu bem. Apesar da minha aparência física não demonstrar, eu estava destruído. Escondia de todo mundo para não causar preocupação.

E nessa conversa, contei tudo que estava acontecendo na minha vida. Ficaram surpresos. Não imaginavam que tanta coisa havia acontecido na minha vida em tão pouco tempo. Começaram a entender o motivo do meu estresse repentino, das minhas crises e de tudo que estava estranho em mim. Eu havia me livrado de um grande peso.

Rolando meu feed de noticias quando me deparei com a postagem de um homem chamado Sebastian Bonhomme. Eu não me lembrava dele, mas ele estava em meu círculo de amigos de Curitiba. Tentava me lembrar de onde ele havia surgido e não tinha sucesso, só poderia ser coisa do acaso. Abri o perfil dele na rede social e comecei há ler um pouco sobre seu trabalho e aquilo foi me fascinando, me encantando muito. Pra quem não sabe, o Sebastian tem um método chamado “Faça acontecer”. E talvez ele ainda não saiba, mas ele foi peça principal para eu estar voltando para o blog hoje. Eu coloquei um legado na minha vida: Eu vou fazer acontecer, independente dos desafios impostos. Sou mais forte que todos os meus problemas e eles não vão me fazer desistir mais uma vez dos meus sonhos.

Desde dezembro venho trabalhando junto com maravilhosos profissionais para que mais um sonho se concretizasse. Que eu pudesse dar a volta por cima dos meus problemas e voltasse a trabalhar nos meus projetos. E além do Thiago, do Sebastian, tive também o apoio da Gabriela, do Felipe, ambos da B!Storytelling e que são essenciais no meu aprendizado diário. A parte do layout ficou por conta da Jéssica e do Bruno, que foram extremamente pacientes comigo e aturaram todas as minhas trocas de ideia e pedidos de alteração. E não menos importantes todos os blogueiros que fizeram parte do projeto secreto que vocês logo vão entender tudinho. Obrigado a todo mundo que me acredita no meu trabalho, no meu potencial. Eu não estaria aqui se não fossem vocês. Obrigado aos meus seguidores que todos os dias me mandam mensagens de carinho e que me motivam cada dia mais.

E você, já passou por uma história parecida em que decidiu desistir de tudo e recomeçar? Conta pra mim aqui nos comentários. História boa é história compartilhada. Vou adorar ler as histórias de vocês.

Enfim, isso aqui já está uma enciclopédia de tão grande. Espero que vocês curtam muito nosso novo cantinho e que possamos comemorar, juntos, novas vitórias!

Sejam bem-vindos e bora fazer acontecer!

Beijos,

Gabriel Morente