PicMonkey Collage

Sim meu caros, eu estou vivo. Depois de me mudar pra Curitiba, tudo tem sido bem corrido. É difícil conseguir conciliar tudo e de sobra ter tempo pra escrever aqui. Sou uma pessoa que gosta muito de qualidade, prezo por isso. Então, como eu não tinha tempo de produzir, acabava deixando vocês desatualizados.

Confesso, quando ainda estava em Santa Catarina, naquela loucura de mudança e no meio de pilhas e pilhas de caixas, tudo estava bem. Eu estava animado e feliz por estar dando mais um passo para novas descobertas na minha vida. Como sempre digo: não interessa se de é cidade, estado ou até país, todo lugar que pisamos, iremos descobrir coisas incríveis, e outras nem tanto.

No último dia, eu realmente acordei feliz. Se bem que nem dormi direito. Estava ansioso. Era perto do meio dia e a empresa de mudanças entrava no apartamento para colocar tudo dentro de um caminhão rumo á um destino incerto. Parece que história de anos atrás se repetia, mas agora de uma forma totalmente diferente. Não teve sofrimento e, sim a certeza que estava dando um passo certo.

Quando a última caixa foi colocada dentro do caminhão e a última vistoria no apartamento foi feita, meu coração apertou. Talvez quem me acompanha por aqui, pensa que eu sou uma pessoa totalmente segura de si. Não é bem assim. Quando estávamos entrando no carro, minha ficha realmente caiu.

O que eu tinha pra fazer por lá, foi feito. No outro dia eu acordaria em um estado diferente com a missão de fazer a vida se reestruturar novamente.

Não foi fácil, no começo parece mil maravilhas, mas quando eu estava devidamente pronto pra começar minha rotina aqui, o medo bateu.

Estava em um lugar totalmente novo e não conhecia absolutamente nada. Parecia que tinham me jogado no meio de uma floresta sem nenhuma forma de me localizar. Me desesperei. Quis vir embora e largar os projetos que já tinha começado aqui.  Mesmo quando temos um sonho e vontade de fazer tudo aquilo que planejamos  acontecer, sair da zona de conforto ainda não é algo fácil.

Cada dia que passa eu venho adquirindo novos conhecimentos. Estamos sempre em constante aprendizado. E algo que eu aprendi durante toda essa trajetória louca que chamamos de vida é que mesmo que o medo esteja presente em nossos planos, não devemos deixa-lo impedir de ir atrás dos nossos objetivos.

E como diz um sábio: E se der medo, vai com medo mesmo!

cuide-da-sua-bussola-interna
Parei pra pensar em quanta coisa bacana aconteceu na minha vida em tão pouco tempo. Conheci novas pessoas, novas cidades e até estou me mudando para um lugar no qual sempre quis morar. Realizei e continuo realizando muitos sonhos.  Parece que tudo mudou do dia pra noite, mas não foi isso que aconteceu. Eu apenas comecei a acreditar mais nos meus sonhos e objetivos. A partir do momento que comecei a usar meus sonhos da mesma forma que se utiliza uma bússola, tudo começou a ir pelo rumo certo.
Quando eu era bem pequeno, me recordo de assistir uma matéria sobre a cidade de Curitiba na televisão, enquanto esperava meu pai chegar do escritório para podermos almoçar juntos. Comentei com minha mãe que um dos meus sonhos era poder conhecer o Jardim Botânico e poder desbravar aquele lugar que tanto me encantava. Mesmo com pouca idade, ainda tenho exatamente a cena em minha cabeça.  Era próximo do meio dia, a reportagem era exibida naqueles jornais que normalmente começam próximo ao horário do almoço.
Hoje sinto como as palavras têm poder e nossos desejos se realizam no tempo certo. Não foi nada planejado, porém a primeira vez que pisei no Jardim Botânico era exatamente meio dia. Talvez seja coisa do destino, ou até uma coincidência. Entretanto, eu estava meio dia, no Jardim Botânico com meus pais. 
Todavia, você deve que ter em mente que alguns sonhos não vão se realizar da forma que idealiza. Muitas vezes você precisará abrir mão do carro do ano para pagar a mensalidade da sua faculdade de medicina. Terá que deixar de fazer a sua primeira viagem internacional porque o dólar, por conta da inflação, está nas alturas ou até mesmo de entrar na faculdade, pois não atingiu a nota de corte necessária.
E aí entra a parte que citei no início do texto: tudo tem seu tempo certo. Não podemos desistir de primeira. A gente quebra a cara uma, duas, três e, se duvidar até mais. Experiência própria. Se eu tivesse desistido dos meus sonhos na primeira vez que quebrei a cara, certamente eu não estaria aqui. E sabe porque eu não desisti? Porque sei que eu tenho um potencial incrível de poder fazer acontecer. Como todos que estão lendo esse texto. Eu não estou aqui simplesmente para escrever sobre determinado assunto. Estou aqui para fazer você que desistiu de algo que sempre quis, se levantar e mostrar para todos que duvidaram da sua capacidade que você é sim capaz e que suas mãos têm o poder de mudar o mundo. 
Se você me perguntar se sou uma pessoa realizada, posso lhe dizer com toda a certeza que sim. Pois mesmo com as dificuldades que tenho no meio dos meus trajetos, não deixo elas me fazerem desistir. Provavelmente chegará um dia que você não aguentará mais correr atrás e não obter um resultado e, é nesse momento que você deve juntar todas suas forças e mostrar para o cansaço que não vai desistir.
E quando se sentir perdido, lembre-se que sua bússola, por mais incrível que pareça, está dentro de você e também atende por outro nome: sonho.

ACREDITE,

CONFIE,

REALIZE.

NENHUM SONHO É

I M P O S S Í V E L

E aí, gostou deste texto? Então compartilha comigo o que você achou e me conta dos teus sonhos. Vou adorar conhece-los. E prometam uma coisa pra mim: mesmo que pareça difícil, não desistam. A bússola da vida está prestes a indicar seus caminhos. Basta você segurar firme e seguir os caminhos que ela aponta. 

Beijos,

Gabriel Morente.